Trajetória da pedagogia universitária e formação de professores para o ensino superior no Brasil

Marcos Tarciso Masetto, Cecília Gaeta

Resumo


O artigo analisa criticamente a trajetória nos últimos 60 anos da pedagogia universitária relacionada à formação dos docentes do ensino superior. Ou seja: como a pedagogia afetou as aulas universitárias, as mudanças curriculares e os programas de formação de docentes. Adotou-se como metodologia pesquisa bibliográfica sobre o tema, que possibilitou a identificação e o estudo das mudanças por épocas. Os dados analisados foram organizados em tópicos relevantes e representativos das transformações ocorridas no período delimitado. Ao final, o estudo evidencia uma revolução no ensino superior, aliando inovações pedagógicas e formação de professores. Os alunos passam a ter papeis diferenciados e expectativas mais ousadas, os professores buscam práticas que lhes permitam adaptação e efetividade no enfrentamento de desafios, e a universidade se abre para dialogar com o novo contexto. Ressalta também que a pedagogia universitária e a formação pedagógica de professores do ensino superior encontram-se em outra era e diante de novos caminhos para dar continuidade a sua história.


Palavras-chave


ensino superior; formação pedagógica; pedagogia da educação superior

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, M. C.; MASETTO, M. T. O professor universitário em aula. São Paulo: Cortez & Autores Associados, 1980.

ANASTASIOU, L.; PESSATE, A. L. Processo de ensinagem na universidade. Joinville: Univille, 2003.

ARANTES-PEREIRA, C. Processo de formação de professores universitários engajados no currículo por projetos da Proposta Integral de Educação Emancipatória da UFPR-Litoral. 2012. 163 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

ARAÚJO, U. F.; SASTRE, G. (Orgs.). Aprendizagem Baseada em Problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, 2009.

BACICH, L.; MORAN, J. (Orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre: Penso, 2018.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Orgs.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino-aprendizagem.

Petrópolis: Vozes, 1977.

BROOKFIELD, S. Understanding and facilitating adult learning. San Francisco: Jossey Boss, 1986.

CAMPOS, L. C.; DIRANI, A. T.; MANRIQUE, A. L. Educação em engenharia: novas abordagens. São Paulo: Educ, 2011.

CANÁRIO, R. Escola tem futuro? Das promessas às incertezas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

CARBONELL, M. J. Aventura de inovar: mudança na escola. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CASTILLO, D. P. La mediación pedagógica. Buenos Aires: Ciccus La Crujia, 1999.

COHEN, E.; LOTAN, R. Trabalho em grupo. Porto Alegre: Penso, 2017.

CUNHA, M. I. (Org.). Reflexões sobre pedagogia universitária. Campinas: Papirus, 2007.

CUNHA, M. I. Bom professor e sua prática. Campinas: Papirus, 1989.

CUNHA, M. I. Professor universitário: transição de paradigmas. Araraquara: Junqueira & Marin, 1998.

GAETA, C.; MASETTO, M. T. O professor iniciante no ensino superior: aprender, atuar e inovar. São Paulo: Senac São Paulo, 2013.

GHIRARDI, J. G. (Org.). Métodos de ensino em Direito: conceitos para um debate. São Paulo: Saraiva, 2009.

GHIRARDI, J. G. Introdução. Cadernos Direito GV, São Paulo, v. 7, n. 5, p. 3-6, set. 2010. Tema do número: Avaliação e métodos de ensino em

Direito.

GHIRARDI, J. G.; VANZELLA, R. D. F. (Orgs.). Ensino jurídico participativo: construção de programas, experiências didáticas. São Paulo: Saraiva, 2009.

GIMENO SACRISTÁN, J.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Comprender y transformar la enseñanza. Madrid: Morata, 1996.

GUTIERREZ, F.; PRIETO, D. A. Mediação pedagógica: educação a distância alternativa. Campinas: Papirus, 1991.

HARGREAVES, A. Aprendendo a mudar: o ensino para além dos conteúdos e da padronização. Porto Alegre: Artmed, 2002.

HARGREAVES, A. O ensino na sociedade do conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HERNÁNDEZ, F. Aprendendo com as inovações nas escolas. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

IMBERNÓN, F. Inovar o ensino e a aprendizagem na universidade. São Paulo: Cortez, 2012.

KNOX, A. B. Helping adults learn. San Francisco: Jossey Boss, 1987.

LEMOV, D. Aula nota 10/2.0. Porto Alegre: Penso, 2018.

LENZ, E. The art of teaching adults. New York: CBS-College Publishing, 1982.

MALGLAIVE, G. Ensinar adultos. Porto: Porto Editora, 1995.

MAMEDE, S.; PENAFORTE, J. (Orgs.). Aprendizagem baseada em problemas. Fortaleza: Huicitec, 2001.

MASETTO, M. T. Aulas vivas: tese (e prática) de livre docência. São Paulo: MG Editores Associados, 1992.

MASETTO, M. T. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

MASETTO, M. T. Ensino de engenharia: técnicas para otimização das aulas. São Paulo: Avercamp, 2007.

MASETTO, M. T. O professor na hora da verdade: a prática docente no ensino superior. São Paulo: Avercamp, 2010.

MASETTO, M. T. Inovação curricular no ensino superior: organização, gestão e formação de professores. In: MASETTO, M. T. (Org.). Inovação no ensino superior. São Paulo: Edições Loyola, 2012. p. 15-36.

MASETTO, M. T. Desafios para a docência universitária na contemporaneidade: professor e aluno em interação adulta. São Paulo: Avercamp, 2015.

MASETTO, M. T. Trilhas abertas na universidade: inovação curricular, práticas pedagógicas e formação de professores. São Paulo: Summus, 2018.

MASETTO, M. T.; GAETA, C. Currículo inovador: um caminho para os desafios do ensino superior. Revista Forges, Ilhéus, v. 4, n. 2, p. 273-290, 2016.

MASETTO, M. T.; ZUKOWSKY-TAVARES, C. Formação de professores para currículos inovadores no ensino superior: um estudo num curso de Direito. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 5-27, jan./mar. 2015.

MEIRIEU, P. Aprender, sim… mas como? Porto Alegre: Artmed, 1991.

MILLER, G. E. Ensino e aprendizagem nas escolas médicas. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1967.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2000.

NÉRICI, I. Metodologia do ensino superior. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1973.

PALLOFF, R.; PRATT, K. O aluno virtual. Porto Alegre: ArtMed, 2004.

PAREDES, J.; HERRÁN, A. (Coords.). La practica de la innovación educativa. Madrid: Editorial Sintesis, 2009.

PAREDES, J.; HERRÁN, A. (Coords.). Promover el cambio pedagógico en la universidad. Madrid: Ediciones Pirámide, 2012.

POZO, J. I. Aprendizes e mestres. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ROGERS, C. Liberdade para aprender. Belo Horizonte: Interlivros, 1972.

THURLER, M. Inovar no interior da escola. Porto Alegre: Artmed, 2001.

VALENTE, J. Blended Learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, v. 30, n. 4, p. 79-97, 2014. Edição especial.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo Zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009.

VEIGA, I. (Org.). Técnicas de ensino: por que não? Campinas: Papirus, 1991.

ZABALZA, M. A. O ensino universitário, seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: Artmed, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.32i106.4434

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

 A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE