Os exames oficiais de proficiência em português do Brasil e de Portugal

Regina Lúcia Péret Dell'Isola

Resumo


Falantes de outro idioma que desejam comprovar sua proficiência em português podem recorrer, no Brasil, ao Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) e, em Portugal, aos exames gerenciados pelo Centro de Avaliação de Português Língua Estrangeira (Caple). Por meio de um estudo de natureza descritiva, foram evidenciados os princípios norteadores desses exames, as abordagens de cada um para se aferir a proficiência dos examinandos e as diretrizes gerais para avaliar a compreensão auditiva/leitora e a produção oral/textual escrita. Verifica-se que, embora tenham características próprias, esses exames oficiais do Brasil e de Portugal apresentam um aspecto comum: a presença de propostas centradas nos textos para a aferição do desempenho dos examinandos em relação às competências necessárias para a interação social.

Palavras-chave


proficiência; português língua estrangeira; Celpe-Bras; Caple.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Guia de capacitação para examinadores da parte oral do Celpe-Bras. Brasília, 2013. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Manual de orientações para os coordenadores de postos aplicadores do Celpe-Bras. Brasília, 2015. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Manual de orientações para os coordenadores de postos aplicadores do Celpe-Bras. Brasília, 2016. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Portaria nº 1.787, de 26 de dezembro de 1994. Institui o Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa CELPEBRAS. Diário Oficial da União, 2 jan. 1995. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Portaria nº 856, de 4 de setembro de 2009. Diário Oficial da União, Seção 1, n. 171, p. 26, 8 set. 2009. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Secretaria de Ensino Superior (SESu). Manual do candidato do exame Celpe-Bras. Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2019.

CELPE-BRAS: autenticação no Celpe-Bras; orientações gerais; primeiro acesso [online]. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

CONSELHO DA EUROPA. Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas: aprendizagem, ensino e avaliação. Porto: Asa, 2001. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2019.

COURA-SOBRINHO, J.; DELL’ISOLA, R. L. P. O contrato de comunicação na avaliação de proficiência em língua estrangeira. In: JÚDICE, N.; DELL’ISOLA, R. L. P. (Orgs.). Português língua estrangeira: diálogos possíveis. Niterói: Intertexto, 2009. p. 89-103.

DELL’ISOLA, R. L. P. A avaliação da leitura nos exames de proficiência em Língua Portuguesa do Brasil e de Portugal. 288 p. 2016. Tese (Pós-doutoramento) –Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2016. (Disponível em CD-ROM).

DELL’ISOLA, R. L. P.; SCARAMUCCI, M.; SCHLATTER, M; JUDICE, N. A avaliação de proficiência em português língua estrangeira: o exame Celpe-Bras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 3, n. 1, p. 153-164, 2003. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2015.

FURTOSO, V. B. Avaliação de proficiência em português para falantes de outras línguas: relação com ensino e aprendizagem. In: MENDES, E. (Org.). Diálogos interculturais: ensino e formação em português língua estrangeira. Campinas: Pontes, 2011. p. 207-236.

KEDDLE, J. The CEF and the secondary school syllabus. In: MORROW, K. (Ed.). Insights from the Common European Framework. Oxford: Oxford University Press, 2004. p. 43-54.

PASCOAL, J. L.; OLIVEIRA, T. B. Exames de português: preparação e modelos. Lisboa: Lidel, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.32i104.4327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

Licença Creative Commons A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE