Efeito retroativo da prova de redação do ENEM nas percepções e atitudes de alunos do terceiro ano do ensino médio

Monica Panigassi Vicentini

Resumo


Recorte de uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico realizada em duas escolas, uma privada e a outra pública, com observação em sala de aula e entrevistas com cinco alunos do terceiro ano do ensino médio, para verificar se e como a prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) influenciava suas percepções e atitudes. Os resultados confirmam que o efeito retroativo é mediado por fatores pessoais ou pelo professor. Na escola privada, os estudantes confiam completamente no trabalho do professor, conhecem o exame, sentem-se preparados e demonstram atitudes e percepções positivas em relação ao Enem. No contexto da escola pública, em que não há efeito retroativo nas práticas da professora, é a autonomia de um dos alunos que o leva a buscar outros meios de se preparar para o exame, por reconhecer uma carência na sala de aula; já o outro, dependente da professora, embora compreenda a importância do Enem para seu futuro, não demonstra conhecimento suficiente sobre o exame.

Palavras-chave


avaliação do desempenho; efeito retroativo; Exame Nacional do Ensino Médio; exame escrito; redação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALDERSON, J. C.; WALL, D. Does washback exist? Applied Linguistics, London,

v. 14, n. 2, p. 115-129, June 1993.

ALDERSON, J. C.; HAMP-LYONS, L. TOEFL preparation courses: a study of wash-back. Language Testing, v. 13, n. 3, p. 280-297, Nov. 1996.

BAILEY, K. M. Working for washback: a review of the washback concept. Language Testing, v. 13, n. 3, p. 257-279, Nov. 1996.

BAILEY, K. M. Washback in language testing. Princeton: Educational Testing Service, 1999. (TOEFL Monograph Series, 15).

BARTHOLOMEU, M. A. N. Prova de língua estrangeira (inglês) dos vestibulares e sua influência nas percepções, atitudes e motivações de alunos do terceiro ano do ensino médio. 2002. 127 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Redação no Enem 2017: cartilha do participante. Brasília, 2017. 46 p. Disponível em: . Acesso em:

maio 2019.

CHENG, L. The washback effect of a public examination change on teacher’s perceptions towards their classroom teaching. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (Ed.). Washback in language testing: research, contexts and methods. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2004. p. 147-170.

CHENG, L. Consequences, impact, and washback. In: KUNNAN, A. J. (Ed.).

The companion to language assessment. New York: John Wiley, 2014.

CORREIA, R. M. D. O efeito retroativo da prova de inglês do vestibular da Unicamp na preparação de alunos em um curso preparatório comunitário. 2003. 172 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa.

In: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. (Orgs.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: ArtMed, 2006. p. 15-41.

ERICKSON, F. Advantages and disadvantages of qualitative research design on foreign language research. In: FREED, B. (Ed.). Foreign language acquisition research and the classroom. Lexington, MA: D. C. Health and Company, 1991.

p. 338-353.

FABRÍCIO, B. F. Linguística aplicada como espaço de desaprendizagem: redescrições em curso. In: MOITA LOPES, L. P. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006. p. 45-65.

HUGHES, A. Backwash and TOEFL 2000. Reading, UK: University of Reading, 1993. (Unpublished manuscript).

SCARAMUCCI, M. V. R. Prova de redação nos vestibulares: educacionalmente benéfica para o ensino/aprendizagem da escrita? In: FLORES, V. N. (Org.). A redação no contexto do vestibular 2005: a avaliação em perspectiva. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2005. p. 37-57.

SOUZA, P. R. O efeito retroativo do EPLIS nas percepções, atitudes e ações de professores e alunos de um curso de formação em controle de tráfego aéreo. 2018. 384 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

VICENTINI, M. P. A redação no ENEM e a redação no 3º ano do ensino médio: efeitos retroativos nas práticas de ensino da escrita. 2015. 263 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

VICENTINI, M. P. Percepções, atitudes e práticas de ensino da escrita: presença e ausência de efeitos retroativos na prova de redação do ENEM. Revista Alpha, Patos de Minas, v. 17, n. 1, p. 97-114, jan./jun. 2016.

WATANABE, Y. Investigating washback in Japanese EFL classrooms: problems and methodology. Australian Review of Applied Linguistics, Series S, v. 13, p. 208-239, 1996.

WATANABE, Y. Methodology in washback studies. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (Ed.). Washback in language testing: research contexts and methods. Mahwah: Lawrence Erlbaum, 2004. p. 19-36.




DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.32i104.4198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

Licença Creative Commons A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE