Imagens artísticas nos livros didáticos e o seu potencial transdisciplinar no ensino

Felipe do Espirito Santo Silva-Pires, Anna Cristina Calçada Carvalho, Paulo Roberto Vasconcellos-Silva, Valéria da Silva Trajano

Resumo


Com o objetivo de identificar o potencial transdisciplinar das representações artísticas presentes nas coleções de livros didáticos da educação básica aprovadas pelo PNLD 2018, docentes da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro classificaram os livros de acordo com uma escala de preferência, justificando sua escolha. As justificativas foram analisadas pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), constatando-se que, na escolha do livro, prevalecem as categorias conteúdo e exercício. Em seguida, 12 representações artísticas, selecionadas desses livros, foram apresentadas aos docentes para que indicassem quais conteúdos do seu componente curricular poderiam ser relacionados às imagens. As respostas foram categorizadas em forma de nuvens de palavras, revelando que a maioria dos docentes relacionou conteúdos de seu componente curricular para todas as imagens. Conclui-se que as representações artísticas permitem não apenas uma abordagem interdisciplinar, mas também transdisciplinar.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, N. Transdisciplinaridade e saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1-2, p. 5-20, 1997.

AMORIM, R. M.; SILVA, C. G. O uso das imagens no ensino de história: reflexão sobre o uso e a interpretação das imagens dos povos indígenas. História & Ensino, Londrina, v. 22, n. 2, p. 165-187, 2016.

BALÉM, W. R. Hominídeos, Vênus e Bruna: ensino de história e aprendizagem significativa em uma turma de educação de jovens e adultos. Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação, Porto Alegre, v. 2, n. 3, p. 974-992, jul./dez. 2015.

BARBOSA, A. M. A imagem no ensino da arte. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

BOTTON, F. F. Michelangelo: Capela Sistina, ut pictura poesis e a condição social do pintor na renascença. Darandina revisteletrônica, Juiz de Fora, v. 2, n. 3, 2010.

BRASIL. Decreto nº 9.099, de 18 de julho de 2017. Dispõe sobre o Programa Nacional do Livro e do Material Didático. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 jul. 2017. Seção 1, p. 7.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Guia PNLD 2018 [online]. [s.d.]. Reúne informações gerais sobre os livros referentes aos seguintes componentes curriculares do Ensino Médio: Arte, Biologia, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Estrangeira Moderna Espanhol, Língua Estrangeira Moderna Inglês, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2018.

CAMARGO, H. W.; GUERRA JUNIOR, A. L. A felicidade de Narciso: reflexos do Eu perfeito na publicidade. Palabra Clave, Bogotá, v. 20, n. 2, p. 389-410, 2016.

COELHO, T. S. A imagem e o ensino de história em tempos visuais. Revista Percursos, Florianópolis, v. 13, n. 2, p. 188-199, jul./dez. 2012.

COMPIANI, M. Narrativas e desenhos (imagens) no ensino fundamental com temas geocientíficos. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 3, p. 715-737, 2013.

COSTA, T. C. P. et al. Linguagem humana: uma análise sobre a escrita. Criar Educação, Criciúma, edição especial II Congresso Ibero-Americano, 2016. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2018.

CRUZ, E.; COSTA, F. A. Formas e manifestações da transdisciplinaridade na produção científico-acadêmica em Portugal. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 60, p. 195-213, jan./mar. 2015.

DURAND, G. Multidisciplinarités et heuristique. In: PORTELLA, E. (Org.). Entre savoirs: l'interdisciplinarité en actes: enjeux, obstacles, résultats. Toulouse: Érès; Unesco, 1991. p. 35-48.

GAUER, G.; GOMES, W. G. A experiência de recordar em estudos da memória autobiográfica: aspectos fenomenais e cognitivos. Memorandum, v. 11, p. 102-112, 2006.

JAENSCH, E. R. Eidetic imagery and typological methods of investigation. Trad. Oscar Oeser. Londres: Greenwood Press, 1930.

LEFEVRE, F.; LEFEVRE. A. M. C. Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 502-507, abr./jun. 2014.

MAFALDA online. Os protagonistas. [2018]. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2018.

MATURANA, H. Emoções e linguagem na educação e na política. Trad. José Fernando Campos Fortes. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

MCNAUGHT, C.; LAM, P. Using wordle as a supplementary research tool. The Qualitative Report, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 630-643, 2010.

MORAES, J. C. P. A forma, a proporção e o desenho do corpo em Kandinsky: potencialidades para discutir arte e educação matemática. REnCiMa: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 8, n. 5, p. 1-15, 2017.

MORIN, E. A religação dos saberes: o desafio do século XX. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MORTIMER, E. E. Uma agenda para a pesquisa em educação em ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 2, n. 1, p. 36-59, 2002.

MOTA, L. G. et al. A importância da comunicação visual na transmissão e consolidação dos conhecimentos de aluno de EAD na área da saúde: uso aplicado na elaboração de exercícios de fixação do conteúdo. In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABED DE EDUCAÇÃO A DISTANCIA, 22., 2016, Águas de Lindóia, SP. Anais... São Paulo: Abed, 2016.

OLIVEIRA, M. M.; SOUZA, S. M. R. O caráter multidisciplinar da comunicação visual em hospitais. Comunicação e Inovação, São Caetano do Sul, v. 15, n. 29, p. 159-170, jul./dez. 2014.

PIAGET, J. The origin of intelligence in the child. Trad. Margaret Cook. Londres: Routledge, 1953.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

PIRES, M. F. C. Multidisciplinaridade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade no ensino. Interface Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 2, n. 2, p. 173-182, 1998.

POMBO, O. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 3-15, 2005.

READ, H. E. A educação pela arte. Trad. Valter Lellis Siqueira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

RENDERS, H. Cristologia iconográfica: das suas linguagens imagéticas clássicas a uma expressão única latino-americana no fim do século 20. Plura: Revista de Estudos de Religião, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 4-31, 2013.

ROOT-BERNSTEIN, B. et al. ArtScience: integrative collaboration to create a sustainable future. Leonardo, Oxford, v. 44, n. 3, p. 192, 2011.

SAWADA, A. C. M. B.; ARAÚJO-JORGE, T. C.; FERREIRA, R. Cienciarte ou ciência e arte? Refletindo sobre uma conexão essencial. Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 13, n. 3, p. 158-177, set./dez. 2017.

SCHMITT, J. Às margens da cristandade: o imaginário macabro medieval. Cadernos de Estudos Culturais, [S.l.], v. 8, n. 16, p. 165-176, 2016.

SILVA-PIRES, F. E. S.; ARAUJO-JORGE, T. C.; TRAJANO, V. S. Avaliação sobre o uso do programa PowerPoint em sala de aula por estudantes da educação básica na rede pública. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 5, n. 1, p. 39-53, jan./abr. 2012.

STRICKLAND, C. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

SILER, T. Neuroart: picturing the neuroscience of intentional actions in art and science. Frontiers in Human Neuroscience, v. 9, article 410, 2015.

SOUZA, V. F.; SOUZA, D. C. I. J. Praticando a interdisciplinaridade no ensino de geografia por meio das tiras em quadrinhos e cartuns. Geografia, Londrina, v. 26, n. 2, p. 128-144, jul./dez. 2017.

THAVES, B. Frank & Ernest. São Paulo: DEVIR, 2009.

TORRES, L. S. Uma fenomenologia do movimento na educação física: aproximações entre filosofia, ciência e arte. 2018. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

VIGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.31i103.4018

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

Licença Creative Commons A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE