Governando por números: os grandes inquéritos estatísticos internacionais e a construção de uma agenda global nas políticas de educação

António Teodoro

Resumo


Os argumentos que o autor tem desenvolvido, desde os seus primeiros trabalhos de 2001, são apresentados no sentido de mostrar que o principal meio de regulação transnacional das políticas de educação, nestes tempos de globalização neoliberal, encontra-se nos grandes inquéritos estatísticos (surveys) conduzidos por organizações transnacionais de natureza governamental, com destaque para a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). E, nesses grandes inquéritos, a questão política determinante está na escolha dos indicadores, que acabam por condicionar fortemente as reformas educacionais nacionais, nomeadamente na fixação do currículo e dos modos de ensinar e aprender. Defende-se, por último, que essa forma de “governar por números” empobrece o debate público democrático e obscurece outros modos de regulação, mais propícios a apoiar a inovação das respostas educativas, condição para a construção de uma escola exigente e radicalmente democrática.


Palavras-chave


Políticas educacionais; regulação transnacional; OCDE; Pisa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.29i96.2600

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Em Aberto, Brasília, DF, Brasil. e-ISSN:  2176-6673

Licença Creative Commons A Em Aberto está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

EdubaseDiadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas BrasileirasPublic Knowledge Project
EZ3 - Elektronische ZeitschriftenbibliothekOEI - Organización de Estados IberoamericanosIbict
LatindexBASE